Arquibancada Palestrina

Um blog de Palmeirense de arquibancada

MÍDIA PALESTRINA x imprensinha

A formação de uma opinião ou da memória acerca de um determinado tema é um processo complexo. No entanto, podemos estabelecer um consenso: neste processo, os meios de comunicação tiveram e tem uma forma enorme. Nos últimos anos, indignados com a postura da chamada grande imprensa com o Palmeiras, muitos palmeirenses iniciaram a produção de blogs, sites, webradios, usando das ferramentas das inúmeras redes sociais como twitter, facebook e o mais ultrapassado orkut para tentar ser uma contraposição ao que nós palmeirenses nos acostumamos a chamar de “imprensinha”.

Já faz um tempo que acompanho este duelo. E resolvi acompanhar mais de perto este processo. Vou trabalhar uma série de posts em que vou comparar a posição das reportagens sobre determinados temas tratados em comum pela “imprensinha” e pela chamada “mídia palestrina”. Para que a comparação possa fazer sentido, o tema deve necessariamente ser o mesmo. Por isso, algumas vezes não aparecerão alguns veículos importantes.

Peço já a ajuda de vocês. Se acharem que faltam veículos importantes de um lado ou de outro, me avisem. Isto é um trabalho experimental. Sou historiador, não sociólogo, nem antropólogo, por isso não tenho muito traquejo com pesquisa sobre o presente. Mas como faço isso com a imprensa do passado, por que não fazer com a do presente?

Para esta primeira análise, apresentam-se apenas as chamadas dos principais sites e blogs de um lado e de outro. Não analisei o conteúdo de cada matéria. Isso fica para um segundo momento. Agora, acho interessante pensar nas chamadas, pois muitos dos leitores ou se detém a esta informação ou vão ler uma ou outra matéria dependendo da maneira como a mesma está escrita e que tipo de pessoa quer atingir: o palmeirense puto, o palmeirense desencanado ou o palmeirense eterno esperançoso. Sempre se escreve pensando em ser lido. E a forma e conteúdo das chamadas fazem parte de uma etapa primordial no processo de motivação do leitor.

Vejamos qual desses palmeirenses a imprensinha queria captar e que tipo de informação estava sendo dado nesta pequena e poderosa frase:

Lancenet: Redenção alviverde

Ou seja, palmeirense eterno sonhador, seu time estava no buraco mas ontem mostrou que você deve ter esperança. Como sabemos que você é um fanático, vamos continuar, a cada vitória, mesmo que horrível, alimentando seu sonho para que você continue nos acessando sempre.

Globo.com: Xô, crise!

Idem, com um tom menos bíblico e mais boteco.

Gambazeta Esportiva: Mesmo sem jogar bem, Verdão bate o Paraná e alivia a pressão.

Idem, sem tom bíblico e sem tom de boteco. O tom é da porcaria de “neutralidade” do jornalista, como se isso pudesse existir. Neutro, só sabão em pó. Com um adendo, como se trata da Gambazeta, coloca que não jogou bem, o que é verdade, para dar uma alfinetada.

Uol: Palmeiras celebra volta por cima após queda e quer usar minipré-temporada para evolução.

Idem ao Gambazeta. Mas na hora de alfinetar, fala que teremos minipré-temporada. Ou seja, estamos de férias. Engraçado…Acho que ainda disputamos a Copa do Brasil, não?

Terra: Vitória sobre o Paraná vira ponto de retomada para o Palmeiras.

Idem ao Gambazeta e Uol, sem alfinetada. Apesar de não ter tom bíblico, a linguagem de economês escroto “ponto de retomada” é para dar aquela cara de científico da parada.

Estado de SP: Felipão contém euforia e vê vitória razoavelmente boa.

Idem ao Gambazeta e Uol, sem tiração de sarro. Estado de São Paulo é jornal conservador. Usa e abusa desse tom de pé no chão.

Folha de SP: Scolari elogia time e não garante volta de Deola como titular.

Folha x Estado, luta quase secular. O Estado diz, Felipão contém euforia. A Folha diz que Felipão elogiou o time. E os otários somos nós. Para completar, a Folha na chamada da matéria, coloca a situação do Deola. Quer tumultuar.

Resumindo: as chamadas tem o tom da esperança. São usados termos para colocar que o time mereceu elogios (Folha) Palmeiras está fora da crise (Globo), havia conseguido a redenção (Lance), chegou ao ponto de retomada (Terra), conseguiu a volta por cima (Uol). Alguns aproveitam para dar uma alfinetada ou tumultuar, mas o foco é para o palmeirense esperançoso. Só o Estado foi mais pé no chão.

Vejamos como alguns dos mais conhecidos sites da mídia palestrina elaboraram as chamadas para suas matérias. Reparem que aqui eu ponho o link, pois acho que vocês devem ler. Os da imprensinha não ponho e nunca vou colocar.

Mondo Verde: Palmeiras derrota Paraná Clube e levanta a cabeça de novo

Reparem a diferença: levantar a cabeça não o mesmo que redenção, ponto de retomada e outras merdas. Levantar a cabeça é simplesmente poder olhar olho no olho e ter orgulho. Ninguém está aliviando.

3VV: Pós Jogo Paraná 1×2 Palmeiras: lição de casa feita

Mais uma bela demonstração. Lição de casa, rapaziada. Lição de casa não é aliviar a pressão. Quando você era moleque e seus pais te cobravam em casa para estudar, fazer a lição de casa era o mínimo. Não aliviava pressão.

Verdazzo: Paraná 1 x Palmeiras 2 : Verdão joga o suficiente para dar um bico na ziquizira e vence o Paraná por 2 a 1.

O Verdazzo, com seu tom característico, apesar de ser parecido com expressões como “xô, crise” ou “redenção”, se analisarmos bem, não tem esse tom. Ziquezira é phodda meu irmão. É muito pior que crise. Crise você ultrapassa, ziquezira é outro papo. E não é por que a ziquezira foi embora que aliviou a pressão. A ziquezira era conseguir uma vitória importante num campeonato importante. Só. Ainda deixa claro que o time jogou “o suficiente”, sem afirmar que o time jogou mal.

Palmeiras Todo Dia: Verdão usa velha arma para abrir vantagem

Mais um exemplo da mídia palestrina. Amigos, estamos ainda dependentes de uma “velha arma”, que todos identificam logo com o gol de falta de Assunção. E nós “abrimos vantagem”, nada de redenção e ponto de retomada.

Companheiros palmeirenses, isto é apenas um início. Vocês podem me ajudar indicando outros sites e outros blogs. Mas de cara, dá para ir tirando algumas conclusões. Uma delas é óbvia. Não leia mais a imprensinha! Leia bons sites e blogs da mídia palestrina. Não dê dinheiro para essas corporações e ajude quem ama de verdade o Palmeiras e o analisa visando exclusivamente o bem deste clube. Independente da posição política e ideológica de cada um.

Anúncios

3 comentários em “MÍDIA PALESTRINA x imprensinha

  1. Oi Malaia,

    cara, a gente nao pode parar de ler a imprensinha. temos é que ficar em cima deles,o tempo todo, senao eles deitam na gente.

    boa sorte com o blog

    Conrado

  2. arquibancadapalestrina
    abril 26, 2012

    Valeu, Conrado. É verdade, você tem razão. Mas entre um e outro, não há como não recomendar o trabakho da Mídia Palestrina. Em caso de falta de tempo, recomendo a Mídia Palestrina. Grande abraço e obrigado pela força.

  3. marcelorricci
    abril 27, 2012

    De princípio, sem ser filiado de qualquer Torcida Organizada do Palmeiras, eu menciono uma música da Mancha Verde cantada nos estádios:
    “(…)Não importa o que diga,
    essa imprensa de gambá
    Eu te sigo em todas partes,
    Ó meu Palmeiras sempre vou te amar!”

    É nítido que, após a vitória do Verdão contra o Paraná, a imprensa procurou mudar o foco do nosso triunfo.
    – globoesporte.com:
    Vídeo principal da página do Palmeiras no site evidenciando o novo bigode do nosso camisa 10. Além disso, procurando mostrar a disputa, mesmo que sadia, entre Deola e Bruno, e afundando cada vez mais nosso camisa 22.
    Sobre a estréia boa estréia do Mazinho? Nada.

    -lanchenet.com:
    “Bruno aprova atuação”, negligenciando nossa academia de goleiros e novamente afundando o Deola.

    E relembrando aqui, um grande momento em que o Palmeiras vivia em 2009, comandado por Jorginho, técnico interino, até a chegada de Muricy Ramalho, a imprensa pisava no Palestra e dizia que com o novo técnico nada ia dar certo, apesar da boa contratação. Com as baixas do Muricy, a crítica foi aumentando, quando num memorável jogo entre Palmeiras x Goiás no Palestra Itália, numa quarta feira, 22h, o Verdão de São Paulo fecha a peleja com 4 a 0. E o final do jogo é marcado por um grito descomunal que incomodou a muitos: “Ei imprensa, vai tomar no c*”
    Não preciso dizer que esse grito foi criticado deveras pela mesma e muitas até não publicando o ocorrido.

    Abraços

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em abril 26, 2012 por em Midia Palestrina x Imprensinha.

(Publicidade Gratuita até 20/05/14) #AvantiBasqueteSEP

@ArqPalestrina

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: