Arquibancada Palestrina

Um blog de Palmeirense de arquibancada

O PESO DE UM “SCUDETTO” ESTAMPADO NO PEITO

Por João Malaia

Que diferença jogar com um “scudetto” estampado no peito! O time do Palmeiras ontem foi, mais uma vez, um gigante. O SPFC foi totalmente dominado. Praticamente não chutou a gol, mesmo com um jogador a mais desde os 5 minutos do 2º tempo. Mesmo com o árbitro sendo conivente com as cotoveladas, coices e chutes na cara de Luis Fabiano. Mesmo com um Palmeiras cheio de desfalques. Mesmo assim, só deu Palmeiras.

No blog Forza Palestra, Barneschi indagou se o empate teria sido um resultado bom ou ruim. Em minha opinião, foi ruim. Explico: apesar das circunstâncias do jogo, de termos saído atrás e jogado com um a menos todo o segundo tempo, jogamos em cima, perdemos várias chances e um pênalti com Valdívia. Em qualquer situação, jogar em cima do adversário, perder pênalti, várias chances e tomar conta da cancha tem que ser considerado ruim. Chega de pensar como antes. Somos Palmeiras, porra!

Ontem, acompanhei o jogo e fui postando as impressões no nosso twitter, @arqpalestrina. Olhando os tweets, pode-se perceber o quanto este time esteve bem e como poderíamos ter vencido esse jogo. Alguns minutos antes de Maikon Leite ter fomeado mais uma bola do jogo, escrevi: “Jogadores estão mortos.Pudera! Uma final na quarta e com um a menos o 2º tempo todo! Time muito bem. Merecíamos mais.”

Se lerem o post anterior, verão que, até a decisão do segundo jogo com o Botafogo na Sul-Americana, temos agora nove confrontos. E ontem, os três pontos, tão necessários, nos escaparam por entre os dedos.

Vamos para Curitiba, enfrentar o Coxa com oito desfalques: Maurício Ramos, Henrique, Leandro Amaro, João Vitor, Luan, Márcio Araújo (desfalque?), Maikon Leite e Barcos. Mais, Assunção e Román são dúvida. Ou seja, podemos jogar com 10 desfalques, nove, se não contarmos com Márcio Araújo. E ainda estamos desesperados atrás de três pontos. Podemos ir com um time todo remendado, algo como: Bruno; Arthur, Leandro Amaro, Wellington e Juninho; Denoni, Fernandinho, Patrick e Valdívia; Mazinho e Betinho. Isso porque fiz um esforço improvisando gente e sem a menor certeza de que esse meio-campo pode sequer jogar junto.

No entanto, o clima agora é outro. Cada jogador carrega o peso de ser campeão nacional nas costas. Nossos atletas jogam leve, com moral, sem desespero. Sabem que podem vencer qualquer jogo e partem para cima, como fizeram ontem com o SPFC. Com certeza, a tabela é difícil, mas podemos vislumbrar resultados positivos em qualquer dos jogos, com quantos desfalques se apresentarem, seja quem for o adversário e campo de jogo.

Estamos no caminho. “It’s a long way to the top”, mas estamos nele. Ontem, demos mais um passo. Quinta-feira será o próximo.

Respeito. Aqui é Palmeiras!

Anúncios

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em julho 16, 2012 por em Pós-Jogo do sofá.

(Publicidade Gratuita até 20/05/14) #AvantiBasqueteSEP

@ArqPalestrina

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: