Arquibancada Palestrina

Um blog de Palmeirense de arquibancada

#AvantiBasqueteSEP Sub-16 75×65 Sesi-SP

Texto: João Malaia

Vídeo: Marcelo Ricci

@ArqPalestrina

Mais uma vez, a torcida do Palmeiras mostrou a sua força. Dessa vez, a força foi para a molecada do sub-16 do nosso basquete. O time jogaria a última partida do 1° turno da 1ª fase. O Palmeiras tinha apenas uma derrota na competição, em partida realizada fora de casa, contra o Esperia. Um sofrido 88 a 86.

Para a partida deste 1° de maio, a molecada tinha que enfrentar o SESI-SP, time que vinha invicto. O SESI ganhou do Esperia, nosso único algoz, na casa deles, por 86 a 78. Tinha e tem o melhor ataque da competição.

Sexta-feira, passei no Palestra, a molecada estava treinando e bati um papo com o excelente treinador Danilo Castro. Na conversa, o treinador me explicou a importância do jogo. Afirmou que nós da torcida precisávamos dar uma força para o sub-16. Que nossa molecada é muito raçuda e o jogo era dificílimo. Mas a vitória nos daria o primeiro lugar do grupo. Foi engraçado que Danilo, acostumado a ver nossa vibração na NBB, nos disse: “Olha, a molecada pode até ficar assustada no começo, por que não estão acostumados com esse apoio. Mas vocês não vão se decepcionar. Os caras são muito raçudos.”

Tá combinado. Aliás, melhor de tudo: marcamos a reunião para organizar ações em defesa do time principal de basquete para horas antes do jogo. Muitos palmeirenses que tem um amor dos mais puros pelo Palmeiras sentaram-se à mesa, na esquina da Caraíbas com a Turiassu, e conversaram sobre as ações que todos já começam a saber. Uma delas, a manifestação sábado, 10h30 da manhã, em frente ao Palestra.

Após a reunião e o apoio aos meninos do futsal, que jogavam no ginásio antes do basquete, a tropa se reuniu no lugar de sempre: atrás do banco do adversário. E começamos a fazer a nossa parte: cânticos quando atacávamos; assovios e vaias quando éramos atacados. E é impressionante: se os adultos sentem a pressão, imaginem os moleques.

O Palmeiras, o conjunto de jogadores, jogou muito. Mas muito mesmo. Primeiro, como imagino que alguns desses meninos vão ler o post, a primeira coisa é: PARABÉNS A TODOS VOCÊS. Todos os jogadores estiveram muitíssimo bem em quadra. Tanto os que pontuaram, quanto os que não pontuaram merecem os parabéns. Todos os que estiveram em quadra: Felipe Antunes, Gabriel, Gabriel Giljum, Henrique Gama, João Faria, José Carlos, Lucas Costa, Mateus Alves, Victor Tracci e Yuri.

Foi realmente um show de raça, um show de determinação e, melhor de tudo, um show de conexão com a pequena, mas barulhenta, torcida que compareceu. Cada bola era disputada com uma gana impressionante. A molecada se jogava nas bolas de tal maneira que dava vontade de pular na quadra para abraçar os caras.

Eu não sei se os moleques são palmeirenses, se escolheram nosso clube para torcer no futebol, para debater com os amigos, para comprar a camisa. Mas os meninos jogaram como se deve jogar um verdadeiro palestrino: com garra, com aplicação e disciplina tática, com concentração para poder colocar toda a técnica a seu favor e jogando no ritmo da torcida.

E a torcida azucrina mesmo. Molecada estava com a corda toda e dava gasolina na gente. Que fique claro que, em jogos da base (com exceção do futsal sub-20), temos por princípio não ofender com palavrões nem árbitros, nem jogadores adversários. Portanto é azucrinação, mas sem ofensas aos garotos.

Havia cerca de 20 pessoas no ginásio apoiando a molecada do SESI. E aí o clima fica mais legal ainda, pois nossa molecada também foi pressionada no final. O ginásio pegou fogo, a galera do outro lado pulando e agitando, vaiando nossos jogadores. Isso aí! Clima de decisão no ginásio. Assim que é bom. Para todo mundo.

E sabem de uma coisa? Tanto os técnicos adversários, Nilton e Pablo, quanto os jogadores do SESI sabem que é chato pra caramba, mas que é o ideal para os meninos, para que eles se preparem para a pressão no profissional.

Apesar de todos os meninos estarem de parabéns, alguns deles merecem um destaque especial. Um deles é Henrique Gama Cerimelli, no Palmeiras desde 2010 e segundo maior cestinha do campeonato com 155 pontos e média de 19 por partida. Henrique fez mais uma excelente partida, pegou vários rebotes e fez 17 pontos. Boa, Henrique!

Henrique Gama: 17 pontos na partida.

Henrique Gama: 17 pontos na partida.

Outro jogador que fez a diferença na partida foi Felipe Antunes, também federado pelo Palmeiras em 2009, pratíssima da casa e que foi o cestinha do jogo: 21 pontos! Boa Felipe!

Felipe Antunes, cestinha da partida com 21 pontos

Felipe Antunes, cestinha da partida com 21 pontos

Outro que jogou muito foi nosso pivô José Carlos. Fez 16 pontos e pegou muitos, mas muitos rebotes. Infelizmente, não há essa estatística no site da Federação Paulista de basquete, muito organizado, por sinal. Mas ele destruiu no quesito. Mas, o José Carlos, você e o Felipe podiam mandar uma fotinho mais recente para o site da Federação, né? Parabéns, cara! Você jogou demais!

José Carlos, pivô, apelidado na arquibancada de Marcão do sub-16.

José Carlos, pivô, apelidado na arquibancada de Marcão do sub-16. Detalhe: Primeiro ano de federado!

Outro exemplo de raça foi Lucas Costa. Ele e Gabriel Oliveira impressionam pela dedicação na partida. Lucas, federado pelo Palmeiras desde 2009, outra pratíssima da casa, fez 6 pontos e Gabriel fez 5 pontos e jogaram como gente grande na execução das jogadas, como mostram as imagens do vídeo animal que o Marcelo editou. Victor Tracci foi outro que jogou muito bem e marcou 6 pontos.

Gabriel, Lucas e Victor: outros destaques da partida

Gabriel, Lucas e Victor: outros destaques da partida

Mas como disse, todos os jogadores estão de parabéns. Conheçam aqui algumas das outras feras que arrebentaram na vitória de 75 a 65 para nós:

Gabriel Gilgam, João Faria, Ygor Sena e Matheus Alves

Gabriel Gilgam, João Faria (federado desde 2009), Ygor Sena e Matheus Alves: garotos que também brilharam contra o SESI

Ao final do jogo, como sempre, dei os parabéns ao técnico do SESI, Nilton Gonçalves, que tão bem conduziu a molecada. A cada tempo, nós ficávamos ali atrás do banco vaiando e assoviando e ele tinha que se virar para fazer os meninos prestarem atenção no tempo técnico. Eles se esforçavam. Mas era difícil. E o Nilton, depois de se esgoelar, olhava para a gente e ria. Ele sabe que, de alguma maneira, estamos ajudando os meninos dele a se prepararem.

Queria aqui deixar registrado meu elogio a dois jogadores do SESI. Dois meninos que, em meio a vaias e assovios, pareciam estar jogando sem ouvir um baralho, a não ser as vozes de seus companheiros e do técnico. Dois moleques gelados, que jogaram demais. Um deles, Bruno Joerke, um pivô excelente, muito alto e o cara de segurança do time de Nilton. O outro, Luis Henrique, que fez cestas de 3 pontos muito importantes no final do jogo, quando o SESI encostou e chegou a ficar 4 pontos apenas atrás no placar, após chegarmos a abrir 15 pontos no 3° quarto.

Também fiz questão de cumprimentar os dois ao final do jogo. Ao Bruno, dei parabéns de longe, com ele dentro da quadra, que se preparava para jogar pelo sub-17 na sequência. Luis Henrique estava sentado na nossa arquibancada, com gelo na virilha e cuidando da filmagem do jogo do sub-17. Fui até ele, dei os parabéns, falei que ele jogou muito e pedi desculpas pela azucrinação. Ele, após me cumprimentar e agradecer aos elogios, me disse, com um sorriso “Ixx! Qué isso, cara! Estamos acostumados!”. Esses moleques, que hoje tem 16 anos, quando tiverem 20, 21, devem ser daqueles que vão sentir muito pouco a pressão em um ginásio lotado, seja em Uberlândia, no Rio de Janeiro, em Franca, em Limeira, em Bauru, em Brasília, em São José dos Campos, em Sorocaba, ou, se tudo der certo, no único ginásio de basquete que lota na capital paulista: o do Palestra.

Queremos que essa molecada tenha um objetivo dentro da nossa casa. Porque vamos ter base se não vamos ter principal? Vamos formar para abastecer outros?

Parabéns molecada! Parabéns Danilo, técnico que está dando um tempero para esse time e que vamos empurrá-los para o campeonato. Compramos a briga do sub-16 também! E do sub-17 e do sub-19! Infelizmente, não dá para acompanhar tudo, mas aos poucos vamos mostrando a cara da nossa molecada.

Próxima partida, sábado, 15 horas, dia 11 de maio, no Palestra, contra o Limeira. Estaremos lá. Apoiando a molecada, pressionando os adversários e lutando pela manutenção do nosso basquete. Depois, joga o sub-17.

E semana que vem, terça, 20h, tem o sub-19, contra o Limeira, 20h, no Palestra. Quem vamos?

#AvantiBasqueteSEP

Anúncios

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em maio 3, 2013 por em Basquete Palmeiras.

(Publicidade Gratuita até 20/05/14) #AvantiBasqueteSEP

@ArqPalestrina

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: