Arquibancada Palestrina

Um blog de Palmeirense de arquibancada

Entenda a saída de Caleb Brown. Entrevista exclusiva com o técnico Betão.

Por João Malaia (@jmalaia)

Fabio Menotti. Agência Palmeiras

Fabio Menotti. Agência Palmeiras

Esta notícia vai deixar muita gente triste. Caleb Brown não é mais jogador do Palmeiras. O norte-americano acertou ontem à noite a sua rescisão contratual com o clube e não faz mais parte do time.

CB, como é carinhosamente chamado pelos torcedores, vai deixar saudades no Palmeiras. Além de ter feito grandes jogos pelo time no NBB5 e neste primeiro turno do NBB6, CB tinha uma empatia muito grande com a torcida. Era o primeiro a ir para a grade ao final das partidas para tirar fotos com torcedores. Adorava jogar no Brasil e ver a torcida cantando durante os jogos. Ao lado do placar eletrônico do Palestra podemos ver duas fotos gigantes, uma em cada lado: Tiagão e CB.

Por esses motivos, CB se tornou uma referência para os torcedores.

Nos últimos jogos, senti que havia alguma coisa estranha com CB. Na vitória contra o São José, Thyago Aléo jogou em seu lugar e foi o cestinha da partida com 23 pontos. Brown jogou poucos minutos. Fez dois pontos.

O Palmeiras já publicou uma nota oficial comunicando a dispensa do atleta. Mas para entendermos um pouco melhor a opção pela dispensa de Caleb Brown e o que muda no Palmeiras, conversei com Betão, nosso técnico. Vamos tentar esclarecer a saída de um dos jogadores que foi uma das referências do time na temporada passada e até agora.

João Malaia (JM): Betão, o que você pode nos dizer sobre a saída do Caleb Brown do time do Palmeiras? Foi uma opção tática?

Leo Pinheiro. Agência Palmeiras

Leo Pinheiro. Agência Palmeiras

Betão: A saída do Caleb da equipe foi estritamente tática. O CB não é um armador, mas sim um “2” que ajuda a levar a bola e definir. Ficou bem claro pra mim e para toda comissão técnica que nos momentos chaves dos jogos não temos um armador clássico e principalmente experiente para nos conduzir às vitórias. Por várias vezes tivemos problemas quando conseguíamos uma vantagem no placar e em seguida essa vantagem desaparecia, pois como o próprio CB estava  ficando muito tempo na quadra como armador e mantinha o seu estilo de jogo, a inconstância vinha e perdíamos a vantagem rapidamente. Não  tem nada de pessoal com o atleta ou o homem Caleb Brown, aliás, desde que cheguei ao Palmeiras sempre dei força a ele, inclusive na temporada passada, quando o Palmeiras chegou a figurar em último lugar na tabela de classificação  em sua estreia no NBB. Por várias vezes, e em vários jogos o CB foi cestinha da partida e a equipe do Palmeiras perdeu. O motivo é que se o tipo de jogo do CB na posição 1 funcionou na série A-2 do Paulista, mas não funciona na série A-1 e na elite do basquete brasileiro, que é o NBB.

JM: Há algum jogador que vem para substituir Caleb Brown? Comenta-se na imprensa argentina que Max Stanic estaria chegando.

Betão: A partir do momento que foi colocado para a diretoria que estávamos com essa deficiência na parte técnica e tática, me foi passado que se conseguíssemos um armador que fosse experiente e capaz de modificar o quadro, poderíamos fazer a troca. Nem todos na diretoria foram a favor, e isso é normal, pois poderíamos dar um tiro no pé, mas eu me certifiquei muito bem da qualidade desse atleta. Maximiliano Stanic é um armador argentino que construiu sua carreira na Europa nas ligas mais fortes do mundo, Itália, Espanha, França, além da Argentina. Qualidade e bagagem não faltam para esse atleta  que vem substituir um jogador que já está no coração dos palmeirenses.

JM: O que muda taticamente com a saída de CB e com a chegada do Stanic?

Betão: Stanic é um armador que tem uma visão global na quadra e não somente a definição de lances. Sua qualidade de passes e de organização vai nos dar uma segurança que não tínhamos. Thyago Aleo vem crescendo, mas ainda está amadurecendo seu jogo e sua personalidade. Stanic vai com certeza nos ajudar a dar um salto dentro dessa própria competição.

JM: Sabemos que tem mais dois reforços chegando, além do Stanic. O que pode nos dizer desses dois jogadores?

Betão: Fabrício é um jogador que pode atuar como ala ou como pivô. Ele tem qualidade nos arremessos e taticamente cumpre bem suas funções. Já foi campeão paulista e sabe como é árduo o caminho da glória. O Rodrigo ainda jovem saiu do Pinheiros e foi para os EUA jogar universitário. Em seu 1° ano foi líder em tocos em todo país e entrou na lista dos 20 principais nomes dos estreantes. Também pode fazer várias funções na quadra.

JM: Betão, você sabe que o Caleb Brown era uma referência para a torcida. Muita gente ia ao ginásio para ver o CB jogar. No placar do Palestra, até o último jogo, havia dois banners de jogador: um do Tiagão e outro justamente do Caleb Brown. A pressão dos torcedores contra a saída dele pode ser muito forte. Está preparado para isso?

Betão: Bom, em relação aos banners, na minha opinião, aquilo foi um erro . Como se coloca a foto de dois atletas de um elenco de 12,14 jogadores num ginásio? E os outros, como se sentiram? Alguém pensou nisso? Eu mesmo sugeri que retirassem  as fotos do ginásio nessa semana e já havia comunicado ao Tiagão quando voltamos de Minas. Ele me disse que também não achava correto a foto dos dois. Na minha opinião se for colocar fotos no ginásio, entendo que seria correto colocar a equipe toda ou de todos os atletas individualmente, como fez Brasília em seu ginásio. Para quem vai ao ginásio a partir de agora, vai poder apreciar um jogador de outro nível que jogou nas principais ligas do mundo. Eu mesmo se não estivesse dirigindo o Palmeiras, começaria a ver todos os jogos só para ver a qualidade desse atleta. A mudança foi feita pensando no crescimento da equipe.

JM: Gostaria de acrescentar algo para a torcida do Palmeiras que acompanha e torce pelo nosso basquete?

Betão: João, agradeço o espaço que você disponibilizou para esclarecer os motivos dessa troca. Sei muito bem que geraria muita controversa, mas fiz isso pelo bem do grupo e principalmente para tentar levar o Palmeiras a uma posição que ele já deveria estar há muito tempo. À toda torcida Alviverde peço apoio ao grupo de jogadores, pois eles estão isentos disso. Obrigado.

_________

Caleb Brown ainda não se pronunciou oficialmente sobre sua saída. Apenas disse que queria ter continuado no Palmeiras. Em breve deve comentar o assunto.

_________

Brown era um jogador querido pela torcida do Palmeiras. Assim como são Guto, Tiagão, Tyrone, Wiggins, Marcão, Neto e Aléo (Átila é mais fechadão, mas também é um jogador querido pela torcida, assim como os meninos da base). A convivência com os atletas do basquete é diferente. É mais próxima, e por isso, fica difícil aceitar a decisão da dispensa se pensarmos por esse lado.

Quanto ao lado tático, pouco conheço de basquete para dizer algo mais aprofundado. Deixo isso, com Betão, ou com quem souber bastante de basquete e quiser contestar. Pelo lado pessoal, fico triste com a saída do CB. Racionalmente, pensando no Palmeiras, só o tempo dirá.

Anúncios

8 comentários em “Entenda a saída de Caleb Brown. Entrevista exclusiva com o técnico Betão.

  1. ISAAC AUGUSTO
    janeiro 18, 2014

    Existe limite de estrangeiros, por isso a saída do Caleb?

  2. Claudio Longo
    janeiro 18, 2014

    João Malaia, você já esta mais que convidado para todo Domingo comparecer no FAMIGLIA PALESTRA TV, é falar sobre o Basquete Alviverde, por favor compareça você é importante é PARCEIRO, além de um grande amigo, um grande abraço!

    • arquibancadapalestrina
      janeiro 18, 2014

      Claudião, estou com meu filho aqui. No primeiro domingo de folga vou ao Famiglia. É um prazer.
      Obrigado pelas palavras.
      Grande abraço,
      João

  3. Jose Renato
    janeiro 18, 2014

    Costuma acompanhar os jogos no palestra com minha familia e concordo quando vc fala que no basquete o relacionamento com os jogadores é diferente, a gente gosta deles, meu filho de 5 anos adoro o Tyrone e o Tiagão, mas tambem gostamos dos outroso Guto é um cara muito legal, enfim é uma relação diferente, mas tenho que concordar com o Betão que o Palmeiras tem vacilado em alguns jogos no final nesse primeiro turno poderiamos ter pelo menos mais umas 2 vitorias se tivessemos cadenciado o jogo, se quisermos ver o Palmeiras campeão do NBB um dia teremos que aceitar as mudanças caso contrario só iremos participar.

  4. Sergio Mendonca
    janeiro 18, 2014

    Amigo valeu pela entrevista e as informações dadas pelo técnico do Palmeiras. Agora colocar a responsabilidade de algumas derrotas em cima de CB e não em toda a equipe e inclusive na comissão técnica já é demais.Afinal ele mesmo fala em equipe e não em jogador individualmente como no exemplo dos “banners”

  5. Fernando Fernandes
    janeiro 18, 2014

    No nbb o máximo de atletas estrangeiros por equipe são 3, por isso infelizmente não daria mesmo pra ficar com CB

  6. Cristiano Lopez
    janeiro 22, 2014

    Respeito a opinião do Treinador mas,não concordo,que colocasse o Atleta em sua posição que ele joga e contratasse um bom armador brasileiro. e se os resultados não vierem como ele mencionou na entrevista? como fica?
    CB com certeza logo vai reforçar uma outra equipe do NBB,boa sorte pra ele.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em janeiro 18, 2014 por em Uncategorized.

(Publicidade Gratuita até 20/05/14) #AvantiBasqueteSEP

@ArqPalestrina

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: